Organizações na América Latina e no Caribe formam uma coalizão para economia circular - Ecoo

Organizações na América Latina e no Caribe formam uma coalizão para economia circular

0 6

Um grupo de organizações está lançando uma coalizão regional para apoiar a América Latina e o Caribe na transição para uma economia circular. Enquanto a região enfrenta os impactos econômicos da pandemia de Covid-19, uma transição da economia circular oferece novas e melhores oportunidades de crescimento para construir uma recuperação econômica resiliente e de baixo carbono.

A região é uma das mais abundantes em recursos do mundo, mas sua dependência excessiva de atividades extrativas de baixo valor agregado e mercados de commodities voláteis a impediram de alcançar um crescimento duradouro, criando empregos qualificados e reduzindo as desigualdades. A região agora tem a oportunidade de construir uma nova onda de desenvolvimento e prosperidade com base em um modelo econômico que beneficia a sociedade, os negócios e o meio ambiente.

A ‘Coalizão de Economia Circular: América Latina e Caribe’ servirá como uma plataforma para o intercâmbio de melhores práticas e promoção da cooperação Sul-Sul e Norte-Sul, além de destacar os benefícios da abordagem de economia circular. Como parceira estratégica da Coalizão, a Fundação Ellen MacArthur recebe com entusiasmo essa iniciativa, que será um mecanismo valioso para promover a colaboração para a mudança de sistemas. A colaboração para a mudança do sistema é um dos cinco objetivos universais para políticas de economia circular que a Fundação publicou em janeiro para criar uma direção comum no desenvolvimento de políticas para uma transição mais rápida para uma economia circular.

“A América Latina e o Caribe podem encontrar novas e melhores oportunidades de crescimento significativas na transição para uma economia circular que elimina resíduos e poluição, mantém produtos e materiais em uso e regenera os sistemas naturais. Uma que seja distribuída, diversa e inclusiva, e que ajude a enfrentar a raiz dos desafios globais ”, disse Luísa Santiago, líder para a América Latina da Fundação Ellen MacArthur. “A Fundação Ellen MacArthur está empenhada em alcançar a transição para uma economia circular globalmente, o que requer uma colaboração sem precedentes em todos os níveis. É por isso que temos o prazer de anunciar o lançamento de uma coalizão regional que irá integrar e acelerar os esforços para construir uma transição de economia circular na América Latina e no Caribe.”

A Coalizão foi anunciada na segunda-feira, 1º de fevereiro, durante um evento paralelo virtual na XXII Reunião do Fórum de Ministros do Meio Ambiente da região. Coordenado pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), é apoiado por um grupo de oito parceiros estratégicos: o Climate Technology Center & Network (CTCN), a Fundação Ellen MacArthur, o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), o Konrad Adenauer Foundation (KAS), a Platform for Accelerating the Circular Economy Coalition (PACE), a Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (ONUDI) e o Fórum Econômico Mundial (WEF).

A Coalizão será liderada por um comitê diretor composto por quatro representantes de alto escalão do governo em uma base rotativa, começando com a Colômbia, Costa Rica, Peru e República Dominicana para o período de 2021-2022. “Como o modelo de “extrair, desperdiçar e fazer negócios como sempre” já não pode mais ser sustentado pelo planeta, é fundamental construir uma visão regional comum sobre uma economia circular. A Coalizão que estamos lançando hoje ajudará justamente a fazer isso e a implementar práticas concretas e mensuráveis ”, disse Carlos Correa, ministro do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Colômbia e presidente da Coalizão.

Uma economia circular é baseada em três princípios, planejados desde o design: eliminar o desperdício e a poluição, manter os produtos e materiais em uso e regenerar os sistemas naturais. Ela aborda a raiz dos desafios globais, como a perda de biodiversidade, poluição e mudanças climáticas. Embora as discussões atuais sobre o clima se concentrem principalmente na mudança para energia renovável e maximização da eficiência energética, pesquisas da Fundação Ellen MacArthur e Material Economics descobriram que elas dizem respeito a apenas 55% do total de emissões de gases de efeito estufa. A transição para uma economia circular é necessária para fazer face aos restantes 45% das emissões, que derivam da forma como fabricamos e utilizamos os produtos e como produzimos os alimentos.

A Coalizão visa colocar em prática esses princípios por meio do trabalho colaborativo entre governos, empresas e a sociedade como um todo. “A criação desta coalizão reafirma o compromisso da região com a implementação da Agenda 2030, com ênfase especial nas ODS 12, Consumo e Produção Sustentáveis, por meio da promoção da inovação, infraestrutura sustentável e uma economia inclusiva e circular”, disse Leo Heileman , diretor regional para a América Latina e Caribe do PNUMA.

“Reconhecendo que os padrões de consumo e produção insustentáveis são a causa raiz das três crises planetárias que enfrentamos hoje – mudança climática, poluição e perda de biodiversidade – temos uma oportunidade única de repensar nossa economia linear e remodelar nossos padrões de consumo e produção insustentáveis”, Heileman concluiu.

Sobre a Fundação Ellen MacArthur

A Fundação Ellen MacArthur, uma organização sem fins lucrativos com atuação global, desenvolve e promove a ideia de uma economia circular para enfrentar alguns dos principais desafios da atualidade, como a poluição por plásticos, as mudanças climáticas e a perda de biodiversidade. A Fundação trabalha com, e inspira, empresas, governos acadêmicos e instituições globalmente para mobilizar soluções sistêmicas em grande escala. Em uma economia circular, os modelos de negócio, produtos e materiais são projetados para aumentar o seu uso e reuso, criando assim uma economia em que não há desperdício e tudo tem valor. Fundamentada em uma transição para fontes de energia renovável e materiais renováveis, uma economia circular é distribuída, diversa e inclusiva.

Mais informações: www.ellenmacarthurfoundation.org/pt



Fonte

Deixar uma resposta