No Dia Internacional contra as Mudanças Climáticas, a National Geographic lança o documentário Ártico Ameaçado - Ecoo

No Dia Internacional contra as Mudanças Climáticas, a National Geographic lança o documentário Ártico Ameaçado

0 8

O documentário faz parte do especial temático que a National Geographic apresenta no sábado, dia 24 de outubro, que inclui também a estreia de Greta: O futuro é hoje.

As previsões científicas prevêem o desaparecimento total do gelo marinho de verão do Ártico – o sistema de resfriamento crítico do planeta – já em 2040. Ártico Ameaçado conta a história de comunidades Inuit lutando para proteger o Ártico, seu lar por séculos, que hoje está em rápido desaparecimento. Filmado ao longo de mais de quatro anos e apresentando entrevistas com líderes da comunidade Inuit, caçadores tradicionais, ativistas e jovens, Ártico Ameaçado foi exibido em festivais de cinema em todo o mundo, incluindo Movies that Matter e Mountainfilm. Dirigido por Scott Ressler e produzido executivo pelo Dr. Enric Sala, explorador residente da National Geographic e fundador do projeto Pristine Seas da National Geographic, o documentário fará sua estreia no National Geographic em 24 de outubro a partir das 22h30.

À medida que o gelo marinho entre o Canadá e a Groenlândia derrete, o mundo exterior vê oportunidades sem precedentes. Depósitos de petróleo e gás, rotas de transporte mais rápidas, turismo e pesca serão um incentivo econômico para explorar as novas águas. Mas há mais de cem mil Inuit vivendo no Ártico, no oceano congelado e ao redor dele, todo um estilo de vida está em perigo. O desenvolvimento da área ameaça o equilíbrio entre suas comunidades, suas terras e a vida selvagem, deixando o futuro da região e sua cultura em um estado de crescente incerteza. Hoje, os Inuit do Canadá e da Groenlândia estão mais uma vez se juntando à luta para proteger o que restará de suas terras ancestrais quando o gelo derreter. A questão é: o mundo vai ouvi-los?

“O derretimento do gelo marinho do Ártico tem consequências profundas em todos os níveis, do local ao global e do ecológico ao cultural”, disse o produtor executivo Dr. Sala. “O que espero alcançar com Ártico Ameaçado é destacar a resiliência das comunidades inuítes que estão lutando contra a mudança climática, já que seus meios de subsistência e cultura estão ameaçados pela dramática transformação do Ártico.”

 

SOBRE OS PROTAGONISTAS DO DOCUMENTÁRIO

Eva Aariak

Eva Aariak é uma política canadense que dedicou sua vida e carreira à promoção da língua, cultura e educação Inuit. Em 1999, Aariak foi o primeiro a ser nomeado comissário de idiomas para o território de Nunavut recém-formado. Sob sua direção e orientação, foram lançadas as bases para o que viria a ser a Lei de Proteção da Língua Inuit, que protege os direitos dos falantes do Inuktitut, e a Lei da Língua Oficial. Após o seu mandato como comissária da língua, Aariak foi eleita para representar o distrito de Iqaluit Oriental na Assembleia Legislativa de Nunavut em 2008 e foi posteriormente eleita Primeira-Ministra, a segunda de Nunavut. Aariak é a primeira mulher a ocupar este cargo e a quinta primeira-ministra do Canadá. Durante sua carreira, Aariak também atuou como coordenadora de publicação de livros no idioma inuktitut para o Conselho Divisional de Educação de Baffin, foi jornalista de rádio e televisão na Canadian Broadcasting Corporation e professora de idioma inuktitut no Centro Pirurvik em Iqaluit, Nunavut. Em 2016, ela foi nomeada pelo Conselho Circumpolar Inuit como comissária canadense da Comissão Pikialasorsuaq. Essa comissão está encarregada de conduzir consultas à comunidade em Nunavut e na Groenlândia para ajudar a desenvolver estratégias para a proteção de Pikialasorsuaq, uma região ecologicamente rica de grande vitalidade socioeconômica para muitas comunidades inuítes. Em reconhecimento por suas realizações e dedicação às comunidades locais e regionais, ela foi homenageada como membro da Ordem do Canadá em 2019.

Okalik Eegeesiak

Okalik Eegeesiak é uma figura pública Inuk canadense, defensora dos direitos Inuit em âmbito regional, nacional e internacional. Ela é ex-presidente da Inuit Broadcasting Corporation e foi anteriormente presidente da organização Inuit Tapiriit Kanatami (1997-2000) e da Associação Inuit Qikiqtani (2008-2014). Em 2014, ela foi eleita presidente do Conselho Circumpolar Inuit (ICC), onde foi porta-voz dos 150.000 Inuit na Groenlândia, Canadá, Alasca e Rússia. Nessa função, ela foi co-presidente da Região Ártica do Fórum Internacional dos Povos Indígenas sobre Mudanças Climáticas na COP21 em Paris, onde promoveu a conscientização internacional sobre o grave impacto social, cultural e econômico das mudanças climáticas sobre os povos indígenas da Ártico. Em 2016, ela foi nomeada pelo ICC como comissária internacional da Comissão Pikialasorsua. Essa comissão está encarregada de conduzir consultas à comunidade em Nunavut e na Groenlândia para ajudar a desenvolver estratégias para a proteção de Pikialasorsuaq, uma região ecologicamente rica de grande vitalidade socioeconômica para muitas comunidades inuítes.

Maatalii Okalik

Nativa de Panniqtuuq (Pangnirtung) em Nunavut, Maatalii Okalik é reconhecida local e internacionalmente por seu trabalho como defensora da juventude inuit. Em sua capacidade como presidente do Conselho Nacional da Juventude Inuit do Canadá (2015-2017), Okalk aumentou a conscientização sobre as questões específicas enfrentadas pelos jovens inuítes, incluindo uma alta taxa de suicídio, incerteza no trabalho e o crescente impacto regional da mudança. clima. Nessa função, ele também defendeu a educação cultural e linguística inuit entre os jovens inuit, uma causa que ele continuou a promover durante sua gestão no Centro Pirurvik em Iqaluit, Nunavut. Anteriormente, ela foi Chefe de Protocolo no Departamento de Assuntos Executivos e Intergovernamentais do governo de Nunavut e presidente do Centro Infantil Inuit de Ottawa. Por seu ativismo, ela recebeu o Prêmio Inuit Youth Indspire em 2017 e o Prêmio Outstanding Young Woman do Conselho Qulliit (Nunavut) sobre o Status da Mulher em 2016. Okalik é formada em Direitos Humanos e Ciência Política pela Universidade de Carleton e atualmente está fazendo mestrado em Estudos do Nordeste: Governança e Gestão Sustentáveis ​​na Universidade da Groenlândia.

Aleqatsiaq Peary

Aleqatsiaq Peary é um músico e caçador Inuk que mora em Qaanaaq (Groenlândia), uma das vilas mais ao norte do mundo. Ele é o neto da quarta geração, ou chozno, de Robert Peary, conhecido por ter sido a primeira pessoa a chegar ao Pólo Norte em 1909.

#Envolverde

apoie



Fonte

Deixar uma resposta