Khan espera que no futuro, alunos aprendam em qualquer lugar com a ajuda da tecnologia, além da escola - Ecoo

Khan espera que no futuro, alunos aprendam em qualquer lugar com a ajuda da tecnologia, além da escola

0 8

Educação deve ser complementada pela tecnologia para ampliar as oportunidades; Escolas continuam sendo extremamente importantes, mas os alunos também devem ter acesso à tecnologia

Em um projeto com o objetivo de fomentar discussões sobre o mercado de educação e ensino online, a organização sem fins lucrativos Khan Academy, por meio do Khan Academy Conversa, trouxe na última quarta-feira (22), a diretora-presidente do CEIB (Centro de Inovação para a Educação Brasileira), Lúcia Dellagnelo. O mote das discussões tratou sobre estratégias de aprendizagem remota para o período de isolamento social e para a retomada das atividades no pós-pandemia.

O fechamento das escolas causou uma expressiva mudança nos padrões de aprendizado e o CIEB acredita que a tecnologia é essencial para dar um salto de qualidade na educação brasileira, “Não tem como nós atingirmos as metas do plano nacional de educação, se não houver uma mudança exponencial. E é isso que a tecnologia possibilita, quando incorporada nos processos pedagógicos, ela consegue fazer essa mudança rápida e que é urgente no setor da educação”, destacou Lúcia.

A presidente do CEIB afirmou que depois de uma análise realizada em todos os estados brasileiros, foi possível perceber uma grande desigualdade, além do país ainda estar em um nível muito básico, no que diz respeito ao uso de tecnologia. Em contrapartida, Lúcia acredita que o Brasil tem grande espaço para crescer em relação ao uso de ferramentas tecnológicas nas escolas.

O Country Manager da Khan Academy Brasil, Sidnei Shibata, elucidou todas as iniciativas que a Khan Academy está trabalhando desde o início da pandemia, sobretudo, com o objetivo de organizar um plano de três fases que contemplam: estudos que evidenciam quais os recursos disponíveis para escolas públicas, ensino remoto e modelo híbrido, com escolas aliadas aos recursos tecnológicos.

“A Khan tem feito uma série de investimentos em recursos para professores, administradores de redes e aos pais, para que eles consigam entender o uso da Khan Academy como um suplemento nesse período de ensino remoto”, declarou Sidnei, que ainda afirmou que a organização está se preparando para garantir que durante o retorno presencial no método híbrido, seja possível oferecer ferramentas que podem ajudar nas avaliações dos alunos e estabelecer por exemplo, qual o nível do estudante em determinada habilidade.

Para conferir todos os pontos de discussão da conversa, acesse o link do Youtube da Khan Academy Brasil, onde é possível assistir também à outras lives, como a do SOS Educação, a da Fundação Lemann e com a Árvore Educação.

#Envolverde

 

apoie



Fonte

Deixar uma resposta