IBM entra para o Consórcio de Clima e Sustentabilidade do MIT - Ecoo

IBM entra para o Consórcio de Clima e Sustentabilidade do MIT

0 7

A IBM e uma dezena de outras empresas, incluindo Apple, Boeing, Cargill, Dow, PepsiCo e Verizon, tornaram-se os membros inaugurais do Consórcio de Clima e Sustentabilidade do MIT. A missão é trabalhar juntos para acelerar a implementação, em grande escala e no mundo real, de soluções para enfrentar a ameaça das mudanças climáticas.

A participação da IBM como membro do Consórcio é mais um marco no compromisso de liderar com soluções que mitiguem e se adaptem às mudanças climáticas. Desde a criação das primeiras diretrizes intersetoriais para relatórios ambientais corporativos voluntários no início da década de 1990, até o apoio ao Acordo de Paris em 2015 e a recente afiliação ao Climate Leadership Council , a dedicação da IBM à sustentabilidade ambiental se mantém por décadas.

No ano passado, a IBM Research lançou uma nova iniciativa global chamada “Future of Climate”, com pesquisadores de laboratórios em todo o mundo dedicados a desenvolver inovações que resultem em uma nuvem híbrida mais sustentável, plataformas de IA inteligentes para o clima e descoberta acelerada de materiais para capturar carbono.

Como líder em plataformas de nuvem híbrida, a IBM está posicionada de forma única para enfrentar de maneira proativa o desafio da previsão de que o consumo de energia de data center deve crescer para mais de 10% do consumo de eletricidade mundial até 2030. Uma solução de nuvem híbrida sustentável é aquela que permite aos clientes medir, visualizar e otimizar o rastro de carbono de suas cargas de trabalho rodando na nuvem híbrida. A IBM Research inova no desenvolvimento de tecnologias que permitem a colocação coordenada de contêineres para otimizar a eficiência energética e a programação dinâmica com base na disponibilidade de energia renovável.

As plataformas inteligentes de IA para o clima são essenciais para permitir a responsabilidade pelo carbono e a resiliência dos negócios. À medida que eventos climáticos extremos se tornam mais frequentes e graves, as empresas devem compreender os riscos, antecipar os impactos e otimizar as operações. As plataformas alimentadas por IA para contabilização do rastro de carbono e otimização da cadeia de suprimentos com consciência climática exigem inovações para modelagem e previsão de impacto precisas. Por exemplo, consultas sofisticadas de dados geoespaciais massivos revelam o impacto social e ambiental da pandemia de COVID-19, mostrando uma queda significativa nas emissões de gases de efeito estufa como resultado dos lockdowns regionais durante a primavera no hemisfério norte em 2020.

A Inteligência Artificial baseada na física agora nos permite construir modelos de IA que aprendem as leis físicas de um sistema, permitindo sua aplicação direta ao clima. Em trabalho recente, a IBM demonstrou que a integração da física com modelos de redes neurais pode gerar modelos robustos e explicáveis ​​que ajudam a antecipar e reduzir os impactos climáticos.

Outro desafio urgente é o de projetar materiais que capturem dióxido de carbono (CO2) em sua fonte de emissão, à medida que as emissões contínuas de gases de efeito estufa exacerbam as mudanças climáticas. Em média, leva pelo menos dez anos para descobrir um novo material e colocá-lo no mercado, mas simplesmente não podemos esperar uma década para que surjam novos materiais de captura de carbono para lidar com a crise climática. Felizmente, agora podemos combinar inteligência artificial, computação quântica e nuvem híbrida para acelerar a descoberta. Ao aplicar pesquisa profunda, simulação quântica e enriquecida com IA, modelos mais abrangentes e laboratórios autônomos baseados em IA na nuvem, estamos aproveitando o método científico para acelerar a descoberta de novos materiais, incluindo polímeros complexos e materiais para a captura e separação de CO2. Em apenas alguns meses, a equipe de pesquisadores já sintetizou uma membrana protótipo para captura de CO2 a partir de gás de combustão.

A adesão ao Consórcio de Clima e Sustentabilidade do MIT permite à IBM trabalhar lado a lado com outros líderes para definir roteiros da indústria que atinjam as metas de sustentabilidade e também possibilita a identificação de soluções científicas e tecnológicas que cumpram esses compromissos. A IBM Research está adotando um modelo de colaboração entre segmentos de mercado para lidar com os problemas complexos e difíceis apresentados pelas mudanças no clima. Ao combinar nossa agenda científica de Futuro do Clima com a experiência em IA de IBM Research, incluindo trabalho focado no MIT-IBM Watson AI Lab, e a vasta experiência de nossos parceiros e clientes, a participação da IBM no Consórcio se traduzirá em contribuições valiosas e soluções de indústria. Fortes colaborações com parceiros de negócios, com a academia, organizações sem fins lucrativos e governo são essenciais para priorizar, validar e testar nossas inovações, permitindo um caminho rápido com escala e impacto.

Este texto é uma tradução do blog post assinado por Solomon Assefa e Marina Rakhlin, que lideram a estratégia Futuro do Clima na IBM Research, e pode ser acessado na íntegra aqui.

* Leia mais sobre o programa geral como parte de nosso Science and Technology Outlook 2021, que destaca nosso foco em acelerar a descoberta, com o objetivo de enfrentar desafios urgentes, como a crise climática.

(#Envolverde)



Fonte

Deixar uma resposta