GPA condiciona bônus de executivos a metas de redução de carbono - Ecoo

GPA condiciona bônus de executivos a metas de redução de carbono

0 8
GPA, maior grupo de varejo alimentar da América do Sul, está investindo em iniciativas para aprimorar suas operações, em especial no sistema de frio alimentar e matriz energética, e assim, reduzir a emissão de carbono da companhia. A meta está alinhada ao compromisso do controlador, o Grupo Casino, na França, e pretende reduzir essas emissões em, no mínimo, 30% até 2025 (tendo como base o ano de 2015).

O indicador passa a fazer parte do ISD (Índice de Sustentabilidade e Diversidade que GPA possui desde 2016), que todos os mais de 1400 gestores da companhia são elegíveis. O indicador avalia a execução de ações ligadas a sustentabilidade e diversidade e está atrelado à remuneração varável desses executivos. A partir dessa inclusão, o índice de redução de emissões de carbono substitui o antigo, que avaliava somente a redução do consumo de energia elétrica, e soma-se ao indicador de presença feminina na liderança – a meta do GPA é chegar a 2025 com 38% dos cargos de alta liderança ocupados por mulheres.

“A sustentabilidade é intrínseca ao nosso modelo de negócio e, como tal, precisa estar refletida em diferentes níveis para que seja um compromisso de toda a companhia. A evolução desse indicador atesta que o GPA está atento ao seu papel como agente mobilizador para construção de uma sociedade mais sustentável e, por isso, está comprometido com metas de curto e longo prazo, como a redução de emissões de carbono equivalente relacionadas ao negócio”, explica Ronaldo Iabrudi, Co-vice-presidente do Conselho de Administração do GPA. “Entendo que, na garantia do direcionamento e alinhamento dos temas altamente relevantes como esse, o papel do conselho é fundamental, garantindo assim, uma governança forte e consistente com os desafios atuais”, completa.

GPA já monitora a emissão de carbono emitidos por suas atividades diretas desde 2010 e vem trabalhando fortemente para que o compromisso seja atingido no menor tempo possível. Para isso, em algumas das frentes de trabalho, contará com a parceria com a GreenYellow (empresa de energia que atua em todas transformações do ecossistema energético). O trabalho tem um histórico de sucesso – entre 2015 e 2019 por meio de medidas de eficiência energética adotadas pela GreenYellow em lojas do Extra, Pão de Açúcar e nas Centrais de Distribuição da companhia, tais como o fechamento dos balcões/geladeiras com portas, troca de iluminação para LED e automação da casa de máquinas/refrigeração, foi possível gerar economia de 699 GWh. Isso equivale abastecer 359 mil lares.

(#Envolverde)

 



Fonte

Deixar uma resposta