Estudo descobre quanto tempo coronavírus vive em congelados - Ecoo

Estudo descobre quanto tempo coronavírus vive em congelados

0 5
(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({ google_ad_client: "ca-pub-8192361229001083", enable_page_level_ads: true });

Depois que a China anunciou ter detectado coronavírus em frango importado do Brasil, a preocupação com os alimentos aumentou. Agora um estudo recém publicado no site Biorxiv parece ter descoberto o tempo de vida do vírus em alimentos congelados.

Segundo os pesquisadores da Universidade Nacional de Singapura que comandaram o estudo, o Sars-Cov-2 pode durar por até 3 semanas em carnes congeladas. Essa é uma possível explicação para o ressurgimento de surtos de covid-19 em regiões com aparente erradicação local, como no Vietnã, Nova Zelândia e partes da China.

estudo descobre quanto tempo coronavírus vive em congelados

Crédito: Boblin/istockSegundo estudo, coronavírus pode permanecer ativo por até 3 semanas em congelados


#NessaQuarentenaEuVou – Dicas durante o isolamento:


Para o estudo, os cientistas introduziram o vírus em cubos de salmão, carne suína e de frango e congelaram as amostras. Depois de 21 dias, eles retiraram as carnes do congelador para análise e constataram que as partículas do vírus seguiam ativas nos pedaços contaminados.

O estudo ainda cita vários casos de surtos em matadouros. Na Alemanha, por exemplo, mais de 1.500 trabalhadores de um desses locais testaram positivo para covid-19. O mesmo aconteceu em fábricas de conservas de atum em Portugal e em Gana.

A preocupação com a importação do vírus através dos alimentos já fez a China cancelar transações comerciais com vários países, entre eles, EUA, Alemanha e Brasil.

O estudo, que ainda não passou pela revisão por pares, afirma que a possibilidade de transmissão a partir do contato com alimentos e embalagens deve ser levada em consideração, mesmo tendo a OMS informado que é muito improvável acontecer.

“Embora não seja a principal rota de infecção, o potencial de movimentação de itens contaminados para uma região sem covid-19 e iniciar um surto é uma hipótese importante”, frisam os cientistas.


Fonte

Deixar uma resposta